Cafeicultor tem que se profissionalizar, garante especialista

Engenheiro Agrônomo Wilson Goto, da Yara Internacional, falou sobre ‘Fertirrigação: interação solo/planta na Fenicafé

O Simpósio Brasileiro de Cafeicultura Irrigada apresentou nesta quarta-feira(20), na Fenicafé,  boas práticas para o uso eficiente de fertilizantes em fertirrigação, apresentado por Wilson Goto, pesquisador da Yara Internacional.

“Não existe uma receita exata. O monitoramento é uma chave para o melhor uso da água e de nutrientes nas lavouras. Dessa forma, entender com maior eficiência, fazendo uma agricultura com acompanhamento e diagnostico”, explica, recomendando as mais variadas ferramentas já disponíveis no mercado.

“Hoje a agricultura corresponde a 71% da água consumida no mundo; essa água além de estar cada vez mais escassa; tem sua qualidade cada vez mais comprometida. Para isso, o agricultor tem que se profissionalizar, mudando as técnicas de manejo, fazendo um diagnóstico antecipado, ajustando às novas práticas agrícolas”, completa.

Goto é brasileiro e trabalha na matriz da Yara Fertilizantes, que fica na Noruega, desenvolvendo pesquisas sobre as novas tecnologias em fertirrigação.

FENICAFÉ - A feira é voltada para a cafeicultura irrigada incluindo o processo de cultivo, plantio, manejo e colheita. É também um local para a divulgação de pesquisas e uma vitrine para as empresas expositoras que produzem produtos voltados para a cafeicultura.

O evento atrai todos os anos um público bem específico – produtores, pesquisadores, engenheiros, técnicos e estudantes que buscam conhecimentos na área de irrigação e cultivo de café. Todos os anos, passam pela Fenicafé um público médio de 20 mil pessoas, durante os três dias de evento.